A indústria e o atacado estão descobrindo o e-commerce

18/06/2014
< 1 min de leitura
0
Amou?

O e-commerce brasileiro mostra sinais de que está chegando a sua maturidade: o crescimento está acelerado, o consumidor está se acostumando a comprar online produtos dos mais diversos tipos, entre outros indicadores. O varejo foi o primeiro a descobrir o comércio eletrônico e já está passando da fase de questionamentos sobre ter ou não vendas via Internet.

Os grandes varejistas e muitas médias e pequenas empresas já sabem da importância de ter uma presença online e de investir no e-commerce, buscando ampliar seus negócios e entender cada vez mais o que o consumidor busca nesse tipo de comércio. Agora chegou a vez da indústria e do atacado darem seus primeiros passos para iniciar operações de e-commerce. Diferentemente do varejo, essas empresas fazem parte de canais de produção e distribuição e não têm foco no cliente final pessoa física. Nesse caso, podemos chamar também de e-business.

Um negócio B2B (business-to-business) pode atender a diversos tipos de empresas, tendo relacionamentos comerciais pontuais ou contratos de longo prazo. Essas empresas B2B buscam melhorias que podem ser encontradas através do e-commerce ou e-business, como eficiência operacional, redução de custos, aumento de margem, ampliação do mercado, automação de processos e redução de estoques e tempo de produção.

O sucesso alcançado pelo varejo no comércio eletrônico também pode ser obtido pela indústria e pelo atacado nas relações comerciais com outras empresas. Os negócios online podem gerar vantagens competitivas como vendas para mercados que antes não eram bem atendidos por falta de vendedores ou representantes e pedidos de reposição de estoque de lojistas a qualquer hora do dia, por exemplo.

A forma como fazemos negócios mudou e o varejo já entendeu isso. Agora é a vez da indústria e do atacado aproveitar todas as oportunidades que os negócios digitais oferecem.