Como criar uma empresa online

19/10/2016
4 min de leitura
0
Amou?

Como criar uma empresa online - Agência Bleez

Sabe quando algo é igual mas é diferente? Pois é, criar uma empresa online é igual a offline. Mas é diferente.

Por que é igual?

Todo negócio precisa passar pelas mesmas burocracias para poder existir. Tirar CNPJ, Inscrição Estadual, ter contador, etc, etc e tal.

“Ah, Bruno, mas eu preciso mesmo ter um CNPJ?”

Sim, sem CNPJ você não consegue fazer várias coisas como emitir nota fiscal e contrato com Correios (que vai deixar suas encomendas mais baratas).

O governo dá várias vantagens hoje para quem vai começar ultra hiper mega pequeno, como o MEI, então não tem desculpa.

Por que é diferente?

Há várias formas de se ganhar dinheiro através da Internet. Tem gente que ganha dinheiro escrevendo em blogs, criando infoprodutos, sites de assinaturas, serviço de consultoria, etc.

Se você tem uma loja física – e produtos físicos – e quer tirar uma casquinha das vantagens da Internet, a melhor coisa para você é ter uma loja virtual.

Independente da forma que você vai usar a Internet para ter – ou crescer – seu negócio há pontos importantes a considerar nesse processo.

1. Entenda a jornada do cliente

Em alguns momentos eu chamo isso de “mecânica de vendas pela Internet”.

Não é querendo inventar moda, mas de fato as vendas pela Internet ocorrem de uma forma peculiar. Tudo é movido pelo comportamento do futuro cliente quando ele navega pela Internet.

Há momentos que ele não está pensando em comprar, há momentos que ele quer comprar naquela hora e há momentos que ele está só pesquisando para comprar no futuro, ou seja, toda estratégia para conseguir uma venda é feita pensando no momento em que o cliente está, quais os canais eles virão (a busca do Google é um grande exemplo) e qual será o comportamento dele quando entrar no seu site/loja virtual.

Por isso que chamamos de Jornada de Compra.

Para entender mais leia nosso post sobre como vender pela Internet, onde eu vou fundo nesse tema.

2. Sem planejar é mais difícil

Confesso que sou muito de colocar a mão na massa. Eu sou meio ansioso e acabo cometendo esse pecado.

Tudo bem, você viu aquela plataforma que era gratuita e quis logo criar uma conta e cadastrar produtos. Não tem problema algum, mas há fatores bem sérios que eu aconselho fortemente você pensar antes de executar.

Por exemplo, você sabe se o produto que você vai vender já tem alguém vendendo na Internet? Se de repente já existe um concorrente, ele está bem posicionado no Google e ainda oferece frete grátis. Será que você vai ter boas vendas mesmo se você gastar todo seu dinheiro em anúncios?

Baseado no que eu falei anteriormente a resposta é não. Imagina, o seu possível cliente vê seu anúncio, pensa em comprar mas por estar na Internet ele entra no Google e procurar por outras lojas pra comparar.

Já era, você acabou de perder uma venda e o dinheiro investido no anúncio.

Para entender um pouco mais leia esse post sobre planejamento para o e-commerce.

3. Defina uma meta de vendas e trabalhe seu orçamento

Eu já falei por aqui várias vezes e não vou parar de repetir enquanto esse mito ainda existir: ter um negócio na Internet não é de graça ou baratinho. É mais barato que uma loja física, mas não é, nem de longe, uma pechincha.

Então antes de você tentar entrar de cabeça na web tenha uma noção do seu orçamento e de quanto você irá gastar em cada recurso, serviço e ferramenta.

A melhor forma de saber se está no caminho certo é determinar uma meta de venda e fazer o cálculo reverso para ter noção do quanto você gastará com marketing.

Vou explicar…

Se você acha que a média dos pedidos que você receber dará R$100 (chamamos isso de ticket médio) e você quer começar faturando mensalmente R$20.000 você precisará receber 200 pedidos, correto? É um cálculo simples, mas presta atenção que agora vem o pulo do gato…

Para você ter pedidos é preciso trazer pessoas à sua loja virtual e se você quiser isso em curtíssimo prazo a melhor coisa é pagar por tráfego.

Vamos supor que você escolheu fazer anúncios no Google Adwords e cada clique – que se tornará uma visita na sua loja virtual – você paga 2 reais. Quantos cliques você pagará para ter 200 pedidos?

A resposta é: depende da taxa de conversão!

Se a cada 100 visitas você recebe um pedido sua taxa de conversão é de 1%. Essa taxa você só vai saber com o tempo mesmo, mas a média do e-commerce brasileiro é 1,5% e para lojas que estão começando é de no máximo 0,5%.

Se a gente pegar esse último número e fizermos o calculo a gente entende que para ter 200 pedidos é preciso ter 40.000 visitas que à um custo de R$2 reais por clique é necessário R$80.000 de orçamento somente para marketing por mês.

Fora isso você ainda vai precisar pagar plataforma, talvez um contrato com Correios, porcentagem do cartão de crédito, etc, etc e tal.

Óbvio que esse calculo não é exato mas é um ótimo ponto de partida quando você ainda não tem seus próprios números, e assim fica claro que é sensato definir uma meta de vendas e um orçamento que esteja na sua realidade e com o tempo, que você for crescendo, você vai definindo metas mais ambiciosas.

E agora já se sente preparado para abrir sua loja virtual? Deixe suas dúvidas nos comentários.

Foto: Rachel Andrew