Como preparar sua loja virtual para vender para o exterior

27/10/2017 Lahisla Vilar
3 min de leitura
11
Amou?

vender-para-exterior

O e-commerce brasileiro já tem um volume considerável de vendas para o exterior. De acordo com estudo feito pela Nielsen e encomendado pelo PayPal, consumidores dos Estados Unidos, China, Alemanha, Reino Unido e Austrália compraram R$ 1,5 bilhão em produtos ofertados em nossas lojas virtuais em 2013. A estimativa é de que até 2018 deverão importar de sites brasileiros R$ 4 bilhões por ano.

Dentro da América Latina, o fluxo de valores no comércio eletrônico já chegou aos US$ 70 bilhões anuais. Um estudo feito pela Radius Global em 2013 com 400 empresas de e-commerce de Brasil, México, Chile, Argentina, Colômbia, Peru e Costa Rica indicou que as exportações derivadas de vendas online dessas empresas latino-americanas chegam a contribuir com 40% de suas receitas, sendo 36% feitas dentro da América Latina mesmo.

Que empreendedor não gostaria de ganhar a sua fatia nesse mercado bilionário? O que pode frear o pequeno empreendedor são as dúvidas sobre como vender e entregar produtos no exterior. O que posso dizer é que não é impossível, mas obviamente exige mais trabalho, dedicação e investimento. Confira os principais pontos que você deve estar atento ao decidir vender para o exterior pelo e-commerce.

O que é preciso para vender para o exterior no e-commerce

1. Conhecimento cultural
Hábitos de consumo mudam muito de um Estado para outro, imagine de um país para outro. Por isso é essencial fazer uma pesquisa por gostos e outros fatores culturais das pessoas dos países para os quais você quer vender.

Além da cultura, um planejamento para vender para o exterior deve explorar datas alusivas e feriados de picos de vendas como a Black Friday nos Estados Unidos, a Semana Dourada no Japão, a Click Frenzy na Austrália ou o Dia dos Solteiros na China.

2. Regulamentação
Uma das maiores dificuldades de vender para o exterior é se adequar à grande diversidade de regulamentações de cada país. Nos Estados Unidos, por exemplo, há uma discussão sobre a aplicabilidade de impostos estaduais sobre transações envolvendo o comércio eletrônico. Além de impostos, também há produtos com leis específicas para venda, como as bebidas alcoólicas, que varia a idade mínima para compra de um país para outro.

3. Métodos de pagamento
Em uma loja virtual, é importante oferecer os métodos de pagamento preferidos pelos clientes, o que também varia bastante de um país para o outro, por isso é preciso pesquisar o mercado em potencial antes de decidir quais métodos serão disponibilizados.

Alguns exemplos são a plataforma Kombini, que é a preferida no Japão. Na Espanha, por exemplo, a preferência são os cartões de crédito, enquanto na Índia a maioria das transações são realizadas com dinheiro no ato da entrega da mercadoria.

4. Logística
Um bom processo de entregas é uma forte vantagem competitiva no e-commerce, principalmente em entregas internacionais. Pesquise bastante empresas que fazem entregas nos países para os quais pretende vender. Os Correios fazem entregas internacionais, mas os preços e prazos de entrega podem ser mais vantajosos em empresas privadas com atuação em outros países, como a FedEx e a UPS, por exemplo.

5. Tradução
Um ponto óbvio e fundamental para uma loja virtual vender para o exterior: traduzir todo o conteúdo em texto. As lojas virtuais devem estar disponíveis no mínimo em inglês, mas de preferência também no idioma falado no país para o qual pretende vender.

Não se esqueça de traduzir também a descrição da empresa (quem somos), as políticas de troca e de privacidade, descrições dos produtos, além de garantir um serviço de atendimento no idioma dos países-alvo.

Mais dicas para vender para o exterior no e-commerce

• Investir em uma página num marketplace internacional para ganhar visibilidade internacional. Essa é uma ferramenta igualmente acessível para grandes e pequenas empresas.

• Ter em mente a força das mídias sociais e a penetração dessas mídias que só cresce cada vez mais na América Latina. Crie páginas e perfis na língua dos países para os quais pretende vender.

• Investir em SEO, otimizando suas páginas para atrair consumidores de outros países.

• Garantir que a loja virtual tenha uma boa navegação em dispositivos móveis (mobile), pois 27% das compras online dos Estados Unidos já se dão por meio de aparelho móveis, número que também cresce no Brasil e demais países da América Latina.

Planejamento, dedicação e investimento podem fazer o seu e-commerce se tornar internacional e um sucesso de vendas. Pesquise, siga as dicas e boas vendas!