Consumidores fazem tudo dentro da loja física, menos comprar

01/10/2015
2 min de leitura
0
Amou?

Você leu certo, as pessoas estão entrando nas lojas físicas mas não estão comprando. E não fui eu quem disse isso, foi a E-bit em seu relatório Webshoppers, que por sinal é o relatório mais respeitado sobre comércio eletrônico do país.

“Oi? Comércio eletrônico?”

Uma das pesquisas que eles fizeram foi sobre os hábitos de compra via mobile. No meio disso, eles foram atrás de saber para que as pessoas usavam seus smartphones enquanto estavam dentro de uma loja de verdade.

Como é de se esperar, algumas responderam que estavam comparando preços, outras batendo fotos dos produtos e outras comparando os produtos com produtos semelhantes.

O que me chamou atenção foi ter pessoas que estavam dentro da loja física comprando produtos online. O relatório não deixa claro se elas estavam comprando produtos da própria loja onde estavam ou do concorrente, mas em ambos os casos a minha cabeça dá tela azul.

Veja os dados completos retirados direto do relatório:

Agência Bleez - Webshoppers habitos de compra mobile

As lojas físicas estão sendo usadas apenas como Showrooming?

O varejo está sofrendo uma inversão de valores. Antes as pessoas buscavam por informações dos produtos na Internet para comprar nas lojas físicas, hoje elas vão às lojas físicas, experimentam os produtos, batem foto (e compartilham com os amigos), comparam com outros produtos e compram online. Isso é o que os especialistas chamam de Showrooming, ou seja, a loja de tijolo e cimento serve apenas de vitrine para a loja virtual.

Não acho que isso tenha a ver com o momento econômico do país, mas sim que isso é um fenômeno que não adianta lutar contra. Os consumidores estão mais conscientes e não querem pagar um centavo a mais se sabem que podem economizar comprando online ou do concorrente.

Nos Estados Unidos isso já é realidade e as lojas estão apostando em melhorar o relacionamento com clientes, oferecer produtos exclusivos ou dar um melhor atendimento no ato da compra.

A Best Buy, por exemplo, criou a Geek Squad, um atendimento especializado em tecnologia para ajudar as pessoas escolherem produtos que sirvam suas necessidades e retirar qualquer dúvida que elas tenham. Minha mãe, que não entende nada de tecnologia, poderia comprar um notebook com melhor custo benefício lá que eles a ajudariam com isso. Como não tem Best Buy no Brasil, a tarefa sobra para moi.

Agência Bleez - Geek Squad

Já está mais do que na hora de as pessoas perceberem que a Internet está quebrando muitos paradigmas e dando mais poder ao consumidor. Isso é ruim? Não, isso é ótimo, afinal uma hora todos seremos consumidores. Mas quem tem sua loja física vai ter que sair da sua zona de conforto e se reinventar. E isso também é ótimo.