Meet Magento Brasil 2012

20/11/2012 Bruno Viana
3 min de leitura
1
Amou?

Bleez-Meet-Magento-Logo

Somente quase duas semanas depois, consegui absorver tudo que aconteceu no Meet Magento Brasil 2012. Não que o evento tenha sido algo avassalador, mas pela quantidade de informações captadas lá. As impressões do evento foram as melhores possíveis. Tudo foi feito buscando a melhor qualidade possível e isso me encantou muito.

bleez-crachá-meet-magento-brasil-2012

A primeira coisa legal do evento é o seu formato. Ele não foi feito para desenvolvedores. Ele não foi feito para donos de loja. Ele não foi feito para consultores de e-commerce. Ele foi feito para todos juntos.

É aí onde começa a ficar legal, pois é nessa mistura que os interesses se encontram e tudo fica mais sinérgico. Era legal ver que em um momento eu estava conversando com um consultor sobre algumas idéias que tive e um dono de loja passa do meu lado e pede o meu cartão porque ouviu minha conversa e gostou. Cada peça fundamental para o sucesso de um e-commerce estava lá, e entender como cada um pensa foi bastante motivador.

bleez-met-magento-brasil-2012-yoav-kutnet

A primeira apresentação foi do co-fundador do Magento, Yoav Kutner, entitulada de “Magento: A Journey Down the Open Road“.

Nessa palestra, ele falou sobre o início dos tempos do Magento e toda a filosofia por trás da empresa. Falou sobre quando a empresa se chamava Varien e ele junto com Roy Rubin, em 2004, iniciaram os trabalhos trabalhando em uma sala 5×5 m².

Um ponto legal foi ele dizendo que logo quando o Magento foi comprado pela e-Bay os técnicos chegaram para ele perguntando como ele realizou as pesquisas e testes para desenvolver a ferramenta e ele disse: “Nós não tínhamos dinheiro para isso. Esse é o conceito de comunidade. O software está na comunidade e ela faz por si só”.

Outra apresentação que me chamou muito atenção foi a do Marcelo Logrotta intitulada “Iniciando uma operação de e-commerce profissional com Magento”. Ele basicamente falou de coisas que já sabemos que o Magento tem mas nem todos sabem como passar ao cliente a vantagem que ele terá com a plataforma.

Ele falou duas coisas que concordo plenamente: “Não é o cliente que deve se adaptar ao Magento. É o Magento que deve se adaptar ao cliente.” e  “Você deve relacionar as funcionalidades do Magento com a estratégia do cliente.“.

Com isso ele apresentou soluções bacanas que ele aplicou aos seus clientes e falou do velho mito de que os layouts da plataforma são limitados.

Eu gostei de praticamente todas as apresentações que vi, como a do Franz Schoenborn sobre Meios de Pagamento, mas isso daria um post enorme e ainda não conseguiria passar tudo que absorvi.  Aconselho que você espere até o ano que vem e garanta a sua ida ao evento. Vale bastante a pena.