Modelos de e-commerce: Entenda as diferenças e escolha o melhor

05/10/2016 Lahisla Vilar
3 min de leitura
0
Amou?

Modelos de e-commerce

Quando pensamos em e-commerce imediatamente nos vem à cabeça a tradicional loja virtual, que acessamos o site, escolhemos o produto, colocamos no carrinho e recebemos o pedido em casa alguns dias depois. A verdade é que o comércio eletrônico evoluiu ao longo das últimas duas décadas e comprar online pode ser feito de muitas formas diferentes.

As diferenças de um modelo de e-commerce para outro podem variar de acordo com o produto ou serviço vendido (produtos físicos, produtos digitais, serviços online, serviços presenciais), de acordo com as mídias e canais mais utilizadas por consumidores (computadores desktop, smartphones e tablets, etc), além de formas de estoque e distribuição.

Você tem modelos bem diversos para estudar e escolher durante a fase de planejamento do seu e-commerce, por isso vou comentar cada um deles para que você tome a melhor decisão para o seu negócio.

Loja virtual

A loja virtual ou site de e-commerce é o modelo mais conhecido e utilizado de comércio eletrônico. Nele, o cliente chega ao site através de buscas na Internet, redes sociais, publicidade ou indicações, faz a sua busca e realiza a compra.

Há modelos baseados na loja virtual que têm pequenas variações de acordo com o tipo de produto vendido, como as lojas de medicamentos, que precisam receber a receita antes de confirmar a compra do cliente; ou as lojas de produtos digitais, como as músicas, em que não há logística de entrega do produto e controle de estoque, mas apenas o download dos arquivos comprados.

Shopping virtual

No modelo de shopping virtual, o operador ou gestor oferece infraestrutura para a operação de várias lojas (processamento, armazenamento de informações, comunicações, segurança, etc.), além de cuidar das ações de marketing, fornecer integração com meios de pagamento e componentes configuráveis para a criação rápida e fácil das lojas virtuais. O contato do cliente pode ser por meio do portal do shopping virtual ou diretamente com alguma de suas lojas.

Clubes de compras

No modelo de e-commerce de clube de compras, o portal tem vários clientes associados com os quais é estabelecido um relacionamento próximo e personalizado. Ele atua como um agente intermediário que congrega o interesse de muitos compradores, faz as vendas e realiza as compras junto aos fornecedores. Em resumo, com base no interesse dos clientes associados, o operador realiza a compra com os fornecedores (venda antes da compra).

Compras coletivas

O modelo de compras coletivas oferece ao cliente o produto ou serviço por um valor muito vantajoso, com grande desconto, quando a quantidade de compradores atinge um determinado limite mínimo. Os descontos são oferecidos pelos fornecedores pela quantidade de clientes comprando e devido ao poder de compra do portal.

Marketplaces

Os marketplaces colocam compradores e vendedores em contato direto. Esse modelo de e-commerce pode atuar como um portal de leilões virtuais ou utilizando muitos varejistas dos produtos que vende e servindo como uma interface única para capturar o interesse de compradores e cuidando de toda a relação com eles.

Link direto com pedido (Shopping de links)

Nesse modelo de e-commerce, a compra é feita diretamente de um link para o produto, sem enviar o cliente a uma loja virtual ou qualquer intermediário que sirva de canal de vendas. A compra é feita de forma rápida e direta através desses links compartilhados principalmente através de redes sociais.

Para esse modelo, existem soluções de gerenciamento de links diretos, em que os vendedores interessados depositam seus links nesse ambiente, como um shopping de links, que, por sua vez, cuida de todo o registro e disponibilização dos links, podendo também cuidar da divulgação.

>>Leia também: Modelos inovadores de e-commerce – Como Tesco e Sellbox encontraram novas formas de vender online

Esses são alguns dos principais modelos de e-commerce que são utilizados hoje no mercado. Qual deles se adeque mais ao seu negócio? Planeje-se e boas vendas!